A Igreja, Coluna e Firmeza da Verdade – Pr Elienai Cabral

Das várias metáforas sobre a igreja como corpo, castiçal, família, esposa e edifício, esta última deve merecer nossa apreciação neste artigo. A figura de edifício (ou casa) é utilizada por Paulo em sua primeira epistola a Timoteo 3.15, que diz: “para que saibas como convém andar na casa de Deus, que é a igreja do Deus vivo, a coluna e firmeza da verdade”. A igreja é um edifício vivo em construção A igreja de Cristo de nossos tempos pós-modernos está vivendo um tempo de mudanças, as quais, se não houver uma conscientização de valor da historia e dos seus fundamentos, poderão trazer graves conseqüências. A preocupação em preservar, resguardar e conservar os seus valores coloca a igreja atual na posição de vigilância e precaução. Apesar de todos os ataques do inimigo, o cristianismo sempre soube, bem ou mal, reconhecer, enfrentar e combater seus inimigos. Sejam eles inimigos teológicos com suas heresias e desvios doutrinários; sejam eles os impérios com seus lideres anti-cristãos, ou mesmo demônios com seus ataques sutis e enganosos. A igreja de Cristo sempre soube, ao longo da historia, reagir e discernir esses inimigos de forma a preservar a vocação da igreja no mundo que vive. Um bom professor de Escola Dominical amplia seu conhecimento sobre os assuntos tratados e, especialmente, em relação a igreja, o professor não pode prescindir da historia da igreja. Através da historia, os fundamentos de doutrina do Senhor Jesus Cristo e dos apóstolos foram estabelecidos e organizados para que a igreja não sofresse solução de continuidade. As doutrinas foram discutidas através dos grandes concílios; foram reparados e anulados os falsos conceitos para a igreja fosse fortalecida. Entretanto, dois milênios se passaram e a verdade do Evangelho tem superado as corrosões do tempo. A preservação da Verdade, símbolo de toda a Palavra de Deus, vem sendo ameaçada pelos falsos movimentos espirituais, especialmente, os neo-pentecostais, que tentam construir outro fundamento que não o estabelecido na Palavra de Deus. São movimentos de falsa espiritualidade construídos por homens insensatos que constroem sobre a areia, isto é, movimentos enganosos, sem estrutura teológica e sem consistência bíblica alguma. Temos hoje a ameaça do liberalismo teológico que utilizam elementos sutis e especulativos da teologia para destruir a integridade da Verdade genuína ( a teologia pura). Esse mal tem que ser combatido com ardor e com inteligência, na unção do Espírito Santo. Precisamos manter a igreja no seu papel original e desfazer o rótulo infeliz de pertencer e ser “um cristianismo genérico”. Uma das missões da igreja é a preservação da fé partilhada pelos verdadeiros cristãos e valorizar nossa herança pentecostal. A tradição ganha um sentido especial porque ela pode ser entendida como a herança da fé cristã que deve ser preservada. UMA TRIPLICE VISÃO DA VERDADE QUE A IGREJA SUSTENTA Temos, pelo menos, três modos de ver a missão proclamadora e preservadora da “Verdade do Evangelho”. Esses três modos são dimensionados sob três ângulos: o das Escrituras; o da história e o da cultura. No ângulo das Escrituras se identifica o modo como a igreja formula suas doutrinas, ou seja, se conhece aquilo que a igreja ministra aos seus membros pela ação do Espírito Santo ( Hb 10.15). Significa que a “verdade” que pregamos e ensinamos tem o testemunho do Espírito Santo. Procuramos desenvolver a verdade do Evangelho através do ensino e da aprendizagem. Lucas escreveu que os discípulos de Jesus “não deixaram de ensinar e proclamar que Jesus era o Cristo” ( At 5.42). Sob o ângulo da história sabemos que as “Escrituras” não meras especulações, mas a essência da historia do plano divino para a humanidade, especialmente, para a igreja de Cristo. A “Verdade” que a Bíblia apresenta tem a apologia histórica porque ela revela o que a Verdade representa na vida da igreja. A verdade que proclamamos, defendemos e amamos é a expressão da historia de Deus, dos seus atributos e do que Ele fez por nós através de Jesus Cristo, seu Filho Amado. Através dos séculos, os inimigos da Verdade Divina tem procurado modificar, adulterar, alterar a verdade, mas a historia garante a sua origem e genuidade. Sob o ângulo da cultura descobrimos que a “Verdade”insofismável da Palavra de Deus jamais mudará porque ela representa o plano divino de salvação para a humanidade. Existe uma multiplicidade de culturas na várias regiões do nosso planeta, com seus costumes e hábitos. Porém, a Verdade do Evangelho não encontra barreiras étnicas, culturais, lingüísticas e geográficas porque a Verdade do Evangelho tem um caráter universal adaptável à cultura de qualquer região do mundo sem precisar mudar a sua essência. Jesus, sendo de origem judaica, foi na verdade, um autentico cosmopolita, porque empregava o conhecimento da cultura local para comunicar-se com as pessoas ( Ex: Jo 4.1-30). A IGREJA COMO COLUNA E FIRMEZA DA VERDADE O texto da Versão Corrigida diz “coluna e firmeza da verdade” ( 1 Tm 3.15). A melhor tradução para a palavra “firmeza” é “baluarte” conforme está no original grego “hedraiöma” que dá a idéia de sustento ou suporte de uma casa. Paulo usou as metáforas para falar de algo que sustentaria a Verdade. As metáforas de “casa, colunas e baluartes” são utilizadas pelo apostolo para ilustrar a igreja como uma casa ( ou edifício) . Quando usa “oikos” ( gr) que significa “casa”, sugere a idéia de família. A igreja local é como uma família em comunhão dentro de uma casa que precisa ser bem construída para não desmoronar ( 1 Tm 1.2,18; 2.13-15 etc). Esta casa ( “a igreja” ) tem seus fundamentos na “ doutrina dos apóstolos” e a “verdade do Evangelho” é a sua coluna e baluarte. Os termos coluna e baluarte indicam a função da igreja em relação à Verdade. O começo do texto de 1 Tm 3.15 diz “para que saibas como convém andar na casa de Deus” revela a natureza da igreja no sentido de que ela deve ter um comportamento conveniente em relação ao mundo pecador. Ela é a “igreja do Deus vivo” por isso, sua conduta deve ser reverente e apropriada. A igreja é, na sua essência, a demonstração da Verdade do Evangelho. Seu papel é o de sustentar, manter e defender a Verdade contra toda a oposição intelectual e filosófica dos “falsos mestres” e, Paulo, sabia da oposição do gnosticismo da época. Quando a igreja é identificada como “coluna e baluarte ( firmeza) da Verdade estava declarando que a igreja deve suportar e sustentar todo o peso da verdade revelada. A verdade foi confiada à igreja e toda heresia ( outra doutrina) deve ser refutada com rigor da igreja ( 1 Tm 6.3-5; 2 Tm 2.18; 3.8). O que é a Verdade no contexto de 1 Tm 3.15? Paulo revela no contexto desse versículo que esta “verdade” se identifica com a expressão “mistério da piedade” ( v.16). Esta expressão representa todo o plano redentor de Deus guardado em sigilo ( mistério) desde os tempos antigos, mas só agora, em Cristo Jesus, foi revelado. A palavra piedade aparece no grego como eusebéia e o sentido do termo refere-se ao conteúdo de nossa fé. A base do nosso cristianismo está na revelação do “mistério da piedade”, que é o grande conteúdo doutrinário da revelação cristã. A igreja tem por objetivo representar, manter e defender a Verdade da “oposição” que se lhe opõe. A VERDADE QUE A IGREJA SUSTENTA A palavra “verdade” aparece no grego como aletheia a qual foi usada nas cartas e epistolas paulinas para caracterizar “a verdade” como o “próprio evangelho”. Em Gl 2.5, Paulo declara que o que está em conflito com os judaizantes dentro da igreja é a verdade do Evangelho. Segundo o o juízo que Paulo faz sobre esses grupos opositores dentro da igreja é a tentativa de transigir com o Evangelho significaria transigir com a verdade do Evangelho. Em Gl 5.7, “a verdade”é sinônimo do próprio Evangelho. Três termos distintos e relacionados à “Verdade” como herança da fé Cristã” são: teologia, doutrina e ortodoxia. O que é teologia neste contexto? A teologia é o processo de exame e reflexão que conduz à construção das doutrinas bíblicas. Teologia é o processo e não o produto. O produto é a doutrina. A teologia é a forma sistemática de didática de se conhecer e estudar as doutrinas. O segundo termo é doutrina. Ora, doutrina significa simplesmente “ensino” ou “instruçao” e refere-se as verdades fundamentais da Bíblia dispostas em forma sistemática. Doutrina se organiza e se desenvolve a partir de convicções , ou seja, aquelas convicções examinadas, ponderadas e afirmadas como verdadeiramente aceitáveis numa igreja. Algumas doutrinas foram estabelecidas como bíblicas a partir dos concílios da igreja nos primeiros séculos da era cristã. a ortodoxia? Refere-se a aquilo que é fiel ou aquilo que está conforme com algum principio. A “verdade” que a igreja sustenta tem sua legitimidade na ortodoxia bíblica. A igreja não torce a verdade, por isso, é ortodoxa quanto às doutrinas estabelecidas.

Por: Pr. Elienai Cabral

Comente!

1 Comentário

  1. Jose Wilson

     /  31 de março de 2011

    Prezado pastor Armando,

    Gostaria de um grande favor seu: estou tentando descobrir uma data tão importante para a minha vida: o dia em que aceitei a Jesus como Salvador. Lembro-me que foi no ano de 1980 em uma classe de adultos da Escola Dominical da Igreja Assembléia de Deus. Lembro-me ainda que era a lição do 2º Trimestre – 1980 e cujo título era “O Espírito Santo como rio (ou água)”. Por favor, se você tiver esta lição ou se conhecer alguém que a tenha, queira verificar para mim o dia e o mês. Se possível, mande-a a página escaneada. Desde já ficarei muitíssimo grato por esta gentileza e Deus vai te abençoar ricamente por este ato! Aguardo sua resposta. Saudações em Cristo.
    Wilson.
    Email – [email protected]

Comente!