Adão ou a Macacada?

Por: Pr Armando Taranto Neto

Recentemente fui interpelado por um irmão com a seguinte pergunta:
“ – Um crente pode desacreditar da existência de Adão e Eva?”
Ao que, ironicamente, de pronto, respondi:
“- Se não crê no que a Bíblia diz não é “Crente”.
Muito longe de criar uma celeuma a respeito do assunto neste pequeno espaço que me cabe comentar, preciso dizer que, segundo relatos de uma senhora que cuidou de Charles Darwin em seus últimos dias de vida, (*Lady Hope, de Northfield, Inglaterra) ele próprio, o pai do evolucionismo, lamentou os rumos que suas “Impensadas conclusões, de tempos de imaturidade” tomaram, tornando-se uma “Religião”. Sim, a ciência é a Religião dos Céticos.
A ciência é uma religião quando postula como verdade somente aquilo que se pode comprovar. Quando condena ao inferno do ostracismo os que não se alinham com seus enunciados, e eleva ao paraíso os que a ela se dobram e servem. A ciência é positivista, ou seja, é preciso ver para crer. Neste quesito conflita com as Santas Escrituras que só se pode conceber sua essência por aquilo e Aquele que não vimos, embora sintamos.
Houve, no século XVII um grande embate filosófico entre dois expoentes da física, filosofia e matemática: Blaise Pascal e Rennè Descartes. Descartes dizia:
“ – É impossível comprovar a existência de Deus por meio dos sentidos, pois estes nos enganam, são passíveis de influência emocional.”
Pascal refutou dizendo:
“ – É impossível comprovar a existência de Deus fora de nossos sentidos, pois estes são as portas de acesso a toda experiência humana.”
Voltando ao ponto, crer em Adão e Eva é mais “racional” do que posicionar-se, em nome de uma falsa ciência, ao lado daqueles que postulam nossa ascendência símia, nada contra a espécie!
Conjecturar que, de sistemas simples (amebas), evoluímos para outros mais complexos, contradizem leis da própria física, notadamente da termodinâmica que declara:
“ Todos os sistemas complexos tendem a tornar-se mais simples ao longo do tempo” (Taylor, Paul. Evolucion versus a basic Law of nature).
Infelizmente muitos cristãos já foram enfeitiçados pela ciência e pelo materialismo. Não tem mais sensibilidade espiritual, não lêem a Palavra, ou quando o fazem é para contestá-la. A esses resta o pesar.
Descrer em Adão e Eva é descrer do próprio Cristo Jesus, como disserta o apóstolo Paulo em Romanos 15.14;19-21 :
“ (…) No entanto a morte reinou desde Adão até Moisés, mesmo sobre aqueles que não pecaram à semelhança da transgressão de Adão o qual é figura daquele que havia de vir.(…) Porque, assim como pela desobediência de um só homem muitos foram constituídos pecadores, assim também pela obediência de um muitos serão constituídos justos. Sobreveio, porém, a lei para que a ofensa abundasse; mas, onde o pecado abundou, superabundou a graça; para que, assim como o pecado veio a reinar na morte, assim também viesse a reinar a graça pela justiça para a vida eterna, por Jesus Cristo nosso Senhor.(…)”
Descrer em Adão e Eva porque não se tem indícios ou provas visíveis de suas existências é um requisito àqueles que não querem morar com Deus, pois aquilo que os olhos não viram, nem os ouvidos ouviram e nem se concebeu no coração dos homens são exatamente as coisas que o Pai preparou para aqueles que n’Ele crêem e amam.
Macacadas à parte, fico com Adão, Eva e tudo o que as Santas Escrituras nos revelam como verdade, ainda que para a ciência não passe de um absurdo.

Recomendações Bibliográficas
Pascal, B. Pensamentos (Pensées). In: Milliet, Sérgio (trad. e org.) & Des Granges, Ch. M. (introdução e notas) Rio de Janeiro : Tecnoprint Gráfica S.A. 1966.
Taylor, Paul. Evolucion versus a basic Law of nature
* (Oswald 3. Smith, Litt. D., artigo extraído de Prayer Crusade, publicada por The Little Church by the Sea, mc.) Citado no livro: O que eles disseram a um passo da eternidade, John Myers, pp. 244, Worship Produções, D’Sena Editora.

Comente!

1 Comentário

  1. João Paulo Moura

     /  14 de fevereiro de 2012

    Ótimo artigo Pastor, cada dia lhe admiro mais…

Comente!