Halloween – A Festa das Bruxas

Por Pr. Alexandre Farias

Algumas escolas comemoram o dia das bruxas como uma festa da cultura americana, uma festa qualquer sem ao menos conhecer o seu significado e origem. (Assista o vídeo no final deste artigo para que saber como a bruxaria é uma religião).
O problema é quando estas escolas obrigam os seus alunos a participarem desta festa com a ameaça de “ quem não participa leva zero”Para que eu não possa ser chamado de preconceituoso – (preconceito é dar um conceito antes de conhecer o objeto do que se fala) este artigo tem pesquisas em fontes especializadas em bruxaria, revistas especializadas em bruxaria e até dicionário de ocultismo para que possamos conhecer a verdadeira festa do dia das bruxas.
Como todos têm o direito de adorar e ter a religião que quiser, eu também tenho o direito de levar a verdade sobre o Halloween, mostrar o que as escrituras Sagradas falam sobre a prática da bruxaria para o meu leitor.

Desta os pais podem decidir, se seus filhos devem ou não participar do dia das bruxas na escola.

As escolas podem obrigar o meu filho participar doHalloween?

Algumas escolas obrigam as crianças a participar desta festa, mas elas não têm este direito, a constituição brasileira nos permite dizer não a qualquer tipo de participação de festas religiosas que vai contra a nossa regra de fé.

Esta posição está amparada no Inciso 5º da Constituição Federal que reza : “é inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais dos cultos e suas liturgias”.

Fica claro que é inviolável a liberdade religiosa e os nossos filhos não podem ser obrigados a participar de qualquer festa tipo de festa como esta.

Mas o que é Bruxaria?

A bruxaria nos dias de hoje é conhecida como WICCA , o neo paganismo que a cada dia tem alcançado adolescentes e jovens “adoradores de Harry Potter” – O garoto propaganda da neo bruxaria. A bruxaria é uma religião.

O livro Wicca-Crenças e Práticas, Grary Cantrell, Madras Editora, traz a seguinte definição: “Nossa religião (bruxaria-Wicca), é legalmente reconhecida e está sob proteção da Primeira Emenda da Constituição dos Estados Unidos e, nosso isolamento do resto da comunidade religiosa deve e precisa terminar.”O sacerdote bruxo afirma “o nosso oficio está crescendo e se diversificando em alta velocidade fenomenal” (Pag 17 Wicca-Crenças e Práticas, Grary Cantrell, Madras Editora).

Mas o que este tipo de festa pode trazer ao meu filho?

No sentido pedagógico nada. Da mesma forma que muitas escolas não abrem suas salas de aulas para que o evangelho seja levado para que as crianças conheçam a verdade sobre a páscoa e o Natal da forma bíblica, porque nós temos que ceder e deixar que os nossos filhos participem do Halloween?

A resposta é sempre: “Nós não podemos abrir para que falem do cristianismo porque as crianças podem ser de outras religiões e elas podem ser influenciadas e os pais podem não gostar desta situação.”

Então porque as escolas abrem espaço para comemorar o halloween?

O Halloween pode despertar o interesse das crianças querer conhecer a bruxaria, conhecer o paganismo e mais tarde rejeitar Jesus como o seu Senhor e salvador, não aceitar Deus como soberano sobre em sua vida e querer adorar vários deuses.

Estas são as doutrinas da bruxaria. É claro que possuímos o livre arbítrio, mas todo livre arbítrio é influenciado por aquilo que nos cerca!Não precisamos deixar com que os nossos filhos conheçam nenhuma religião precocemente antes que elas tenham formado o seu caráter ou tenha maturidade suficiente para ter uma escolha própria ou julgamento pessoal.

O exemplo vem do próprio cristianismo, algumas igrejas protestantes não batizam crianças porque elas não têm conhecimento suficiente para escolher se vão querer ou não seguir Jesus em sua vida. O batismo tem uma conotação de testemunho público – como uma criança vai fazer o seu testemunho público se ela não tem conhecimento do que ela está fazendo?

O batismo deve ser feito quando o homem tem consciência de sua escolha, desta forma nós também não queremos que as crianças sejam iludidas pelas festas das quais tem conotações espirituais sem o seu conhecimento prévio.

Interesses por religiões desde pequenos

Uma revista voltada para o misticismo trouxe uma reportagem que pode mostrar como as crianças são influenciadas por livros, peças teatrais e até historias que as professoras contam nas escolas sobre religiões.

A revista “Bons Fluidos” trouxe uma reportagem de crianças que se envolveram com outras religiões.
Um garoto de 6 anos começou a se interessar por hinduísmo depois que a professora ensinou um mantra.”No quarto de brinquedos de P. Q., 6 anos, bolas, carrinhos, dinossauros e cobras de borracha convivem com um pequeno altar ecumênico. Arrumadas em um canto do cômodo, imagens de divindades indianas, de Buda e de Nossa Senhora despertam a atenção de quem entra ali pela primeira vez. ”

O garoto fala do seu gosto sobre os deuses hindus: “Gosto de todos os deuses, mas meu preferido é Brahma, ele tem quatro cabeças e é o mais poderoso do Universo”, conta com desenvoltura.

“Também acho legais Shiva e Vishnu, que, junto com Brahma, comandam tudo”, continua. De modo simples e autêntico, Pedro demonstra que entende um pouco de uma cultura muito distante da sua. Seus três deuses favoritos formam a trindade sagrada que, para o hinduísmo, controla o mundo”.

Como surgiu o interesse pelo hinduísmo?

O interesse de Pedro, aluno da Escola Viva, de São Paulo, surgiu na escola. “Um dia, a gente escutou algumas histórias de deuses. Depois, sentamos e ficamos repetindo om, om, om, que é um mantra”, explica.

Sua mãe conta que ele se interessou também por mitologia grega. “Para satisfazer a curiosidade dele, passei a pesquisar na internet e a conversar com amigos”, lembra. Eles foram juntos assistir à peça infantil As Jóias de Krishna. “Gostei. Lá, aprendi por que Ganesha, deus da sabedoria, tem cara de elefante. Acho legal que nenhum deus seja só bonzinho. Eles lutam e fazem as pazes”, diz o garoto.

REALIZAR UMA MAGIA – ESTE É O MEU SONHO…

Outro relato que a matéria traz é a de um menino de 9 anos que se interessou por bruxaria e feitiços : “Sentado no alto de uma árvore, Antônio Canto Porto de Moraes, 9 anos, tenta recitar um dos feitiços que aprendeu em seu ultramanuseado exemplar de O Livro Secreto dos Bruxos, de Janice Eaton Kilby, Deborah Morgenthal e Terry Taylor, (Ed. Melhoramentos), leitura de cabeceira diária e obrigatória.”Realizar uma magia: esse é meu maior sonho. Se um dia eu conseguir, serei a criatura mais feliz do planeta”, confessa o menino”.

Fã de Harry Potter – o garoto mago da série homônima criada pela inglesa J. K. Rowling -, o garoto diz que troca qualquer jogo de futebol por uma sessão de bruxaria entre amigos.

“Bruxaria do bem, tá? Não gosto de violência nem de coisas negativas”, faz questão de esclarecer.No último Natal, pediu de presente uma tenda roxa com estrelas bordadas porque queria um lugar especial para fazer rituais.

“Não ganhei, mas tenho fantasia de mago, coleção de duendes e gnomos e minha mãe já disse que, quando eu crescer, vou estudar em uma escola de bruxos”, conta.

Sua mãe concorda que o garoto aprenda bruxaria : “Se encontrarmos um lugar bacana, por que não? Respeito a sensibilidade dele, que sempre teve inclinação para esses assuntos. Estimulo sua vontade de aprender e procuro fornecer leituras adequadas à sua idade”, afirma Manuela, que é católica.

O que quero mostrar é que a criança possui uma tendência de se envolver a fundo naquilo que é passado através de histórias, programações ou até mesmo festas.

Dizer que Halloween é uma festa qualquer demonstra a falta de conhecimento de participar de algo que não se conhece. Isso não deveria ser um erro de pedagogos ou de diretores das instituições educacionais.

ORIGEM DO HALLOWEEN

Da mesma forma que nós cristãos comemoramos a páscoa e o natal com significados importantes para cristianismo, o Halloween também é comemorado e considerado um dia importante para a religião pagã. Existem oito dias de cerimônias sagradas para as bruxas, os quatro maiores e quatro menores.

O Halloween está incluído nos principais Sabás : IMBOLC, BELTAIN, LUGHNASADH e SAMHAIM (este último é o dia de Halloween).No dia 31 de Outubro é comemorado o festival que introduz a estação das trevas.

De acordo com a história, este dia originou-se nos antigos festivais de outono Celtas que eram ligados à feitiçaria e à magia.

Os bruxos acreditam que o portal que separa os mortos dos vivos se abre e eles passam a ter contato com os vivos.

O livro Wicca de Gary Contrell, Wicca-Crenças e Práticas, na pagina 95, o autor faz o seguinte relato referente a Halloween:”O Sabá do Samhaim celebra o ciclo eterno da reencarnação e marca o início do inverno céltico. O velho Deus morre nesta noite para renascer no Yule, dando continuação à Roda da Vida do Ano. Se o ritual for adequadamente feito, geralmente se percebe a presença de amigos invisíveis.”

Então este dia não é apenas um dia de doces e travessuras, mas o dia em que a religião pagã realiza a prática da necromancia.Dentro dos rituais, frutas como maças, melões, abóboras, além de cereais ou nozes de outono são decorações típicas do Samhaim.

Por mais que pareça uma brincadeira, o dia das bruxas tem uma relação religiosa, ou você acha que ter um contato com mortos é brincadeira de criança?

É claro que não, dentro deste dia há processos ritualísticos a serem feitos como: purificar a área ou o círculo, invocar os quadrantes (vento, terra, água e fogo)e o Senhor e a Senhora (deuses) com orações de evocações.

Existem orações que invocam espíritos da morte e a deusa pedindo que os visitem e que os guiem pelo caminho que estes espíritos e a deusa quiser. Estes rituais são acompanhados por diversos processos de invocação, velas e musicas.Os cânticos evoca a reencarnação, a morte e a pratica a adoração a deusa.

NECROMANCIA

Os adeptos a bruxaria neste dia falam de pessoas que já morreram, de amigos e animais que perderam naquele ano, pois o dia é celebrado com a influência da morte.Depois o sacerdote indica o ritual do bolo e da cerveja para celebrar a possibilidade de contato com eles (em alguns convéns podem ser feito outros rituais- cada grupo pode ter o seu ritual personalizado ou seja, não precisa ser necessariamente o que todos fazem).

DOCES OU TRAVESSURAS?

Esta pratica é a mesma que os antigos tinham para proteger suas lavouras neste dia.

A prática de dar oferendas aos espíritos está ligado diretamente a proteção de suas lavouras, eles acreditavam que os mortos vinham com Samhaim e tinham que ser recebidos com oferendas contendo doces e frutas para que eles não fizessem nenhum dano as suas plantações.

Muitos colocavam fogueiras no canto de suas fazendas para afugentar os maus espíritos e aplacar poderes sobrenaturais que controlavam os processos da natureza.

Nesta festa, os praticantes de bruxaria dizem que deixar uma oferenda de alimentos ou bebida na entrada da casa serve para revigorar as almas dos mortos.( livro Wicca Crenças e Práticas, pág.95)

A invocação dos quadrantes e dos deuses são feitos em lugares purificados em alguns convéns.

HALLOWEEN VEM DOS AMERICANOS?

O Halloween foi introduzido nos Estados Unidos pelos Irlandeses.

A sua origem remonta as tradições celtas, povo que viveram na Gália e nas ilhas da Grã-Betanha entre 600 e 800 d.C.Esta pratica foi sendo esquecida devido a evangelização cristã nestes territórios, a religião Celta começou a desaparecer.

Como eles tinham uma tradição oral, eles não escreveram quase nada sobre a sua religião.Os Estados Unidos receberam estas festas com o surgimento da religião pagã em seu território.

O Halloween foi introduzido nos Estados Unidos pelos Irlandeses. Não há nenhuma fantasia em Halloween, é um dos dias de rituais na religião Wicca. Hoje podemos dizer que a Wicca é a neo-bruxaria. Para as bruxas este dia é o último dia do ano.

SIMBOLISMO DO HALLOWEEN

ABOBORA COM ROSTO – Esta vem de uma lenda : um homem chamado Jack morreu e foi lhe foi negado a sua entrada no céu e no inferno. Condenado a viver perambulando pela terra como uma alma penada, ele colocou uma brasa brilhante num grande nabo oco para iluminar o seu caminho à noite. Este talismã virou abóbora iluminada que simboliza Jack.

NABOS – O nabo também era o tipo de lanternas que os Celtas acreditavam que eles mandavam os espíritos embora, este símbolo continua com o uso das abóboras iluminadas.

VELAS – Neste dia é usado muitas velas marrons e alaranjadas. Muitos pentagramas possui
estas velas em seus quadrantes.

USO DO PENTAGRAMA –

O pentagrama tem sido usado como amuleto, mas ele é um símbolo básico da feitiçaria. É o ponto central do trabalho de encantamento e geralmente é colocado sobre ou na frente do altar – Ele representa o fogo, terra, ar, água e espírito.

PESCAR MAÇÃS EM UM TONEL – Esta antiga prática veio de adivinhar o futuro. O participante que obtinha sucesso poderia contar com a ajuda dos espíritos para a realização amorosa com a pessoa amada.

PEDIR DOCES – Esse costume veio da tradição Irlandesa, quando um homem conduzia uma procissão para angariar contribuições dos agricultores para que suas colheitas não fossem amaldiçoadas por demônios.

Isso me faz pensar : O que as crianças que saem pedindo doces ou travessuras representam?O que acontece se elas não conseguem os doces? Elas fazem as travessuras.Se você pensar um pouco, o agricultor pedia alguma coisa para dar de oferta aos demônios.

HALLOWEEN A LUZ DA PALAVRA DE DEUS

Infelizmente o espaço é curto para muitas informações que poderíamos dar aqui, contudo quero levar você à luz da Palavra de Deus.Pessoas que participam dessa festa têm que se conscientizar o que Halloween traz como conseqüência, estamos debaixo da lei da semeadura “ O que o Homem semear, ele irá colher”.
Neste tipo de ritual encontramos a Necromancia, animismo, o Politeísmo e práticas pagãs, estas práticas não condizem com as Sagradas Escrituras.

A bíblia nos da uma posição clara sobre a prática da bruxaria e não há possibilidade de alguém que está morto entrar em contato com o mundo dos vivos, o que para Deus é abominação.
Hebreus 9 v.27: “Pois aos homens esta ordenado viver e morrer uma só vez, depois disso juízo”.

Isaias 8 v. 19-20
“Quando pois, vos disserem:Consultai os que tem espíritos familiares e aos adivinhos, que chilreiam e murmuram: Porventura não consultará o povo o seu Deus? A favor dos vivos, consultará aos mortos? Á lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, é porque não há luz neles”.
O que não podemos deixar de dizer é que os que apóiam ou participam desta festa estão fazendo parte da mesa dos espíritos malignos e demônios, porque coadunam com o mesmo objetivo e propósito da festa.

I Co 10 v. 18-22
“Vede a Israel segundo a carne; os que comem os sacrifícios não são porventura participantes do altar? Mas que digo? Que o ídolo é alguma coisa? Ou que o sacrificado ao ídolo é alguma coisa? Antes digo estas coisas que os gentios sacrificam, as sacrificam aos demônios, e não a Deus. E não quero que sejas participantes com os demônios. Ou irritemos o Senhor? Somos nós mais fortes do que ele?”
Se participarmos dessa festa estamos sendo cúmplices da mesma, a pessoa tem que ter a sã consciência que está envolvida com este ritual.
E os professores cristãos que são obrigados a participar?Como fazer, participar ou não?
Devemos compreender que não é fácil estar na pele deles, mas não posso invalidar a palavra de Deus porque um dos mandamentos de Jesus é “AMAR A DEUS SOBRE TODAS AS COISAS”.
Mesmo que o meu emprego esteja em jogo, devo primeiro olhar para o envolvimento espiritual que estamos oferecendo às crianças ou que estamos sendo envolvidos a realizar por uma obrigação profissional.
A nossa Constituição nos garante o nosso trabalho, ninguém pode mandar você embora por causa de que não participou desta “atividade” e nem mesmo obrigar a qualquer aluno a participar.
O que assegura a nossa Constituição?
“É INVIOLÁVEL A LIBERDADE DE CRENÇA, SENDO ASSEGURADO O LIVRE EXERCICIO DOS CULTOS RELIGIOSOS E GARANTIDA, NA FORMA DE LEI, A PROTEÇÃO AOS LOCAIS DE CULTOS E AS SUAS LITURGIAS -(ART.VI-Capitulo I – Titulo II)”.
Pedro escreveu: “Mas também, se padecerdes por amor da justiça, sois bem-aventurados. E não temais com medo deles, nem vos turbeis; antes santificai ao Senhor Deus em vossos corações, e estai sempre preparados para responder com mansidão e temor a qualquer que vos pedir à razão da esperança que há em vós, tendo uma boa consciência, para que naquilo em que falam de vós, como de malfeitores, fiquem confundidos os que blasfemam do vosso bom porte em Cristo. Porque melhor padeceis fazendo bem (se a vontade de Deus assim o quer), do que fazendo mal. (1ª Pe 3 13 -17)
E difícil tomar decisões assim, mas que o Senhor possa dar força para esta atitude.Infelizmente existem pessoas que não querem saber, participam do Halloween como se fosse uma festa de aniversário.
A Bíblia alerta a este respeito, que pessoas têm vivido como acham que devem ser.
“Mas o Espírito expressamente diz: que nos últimos tempos, apostatarão alguns da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrina de demônios.” (I Tm 4v.1)
Lembre que “a nossa luta não é contra carne, mas contra potestades, principados e príncipes das trevas, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais”. EFESIOS 6 V.12.

Bibliografia:
*Wicca-Crenças e Práticas, Grary Cantrell, Madras Editora
*Sites da wicca
*Revista Bons Fluidos – editora Abril.

Pr. Alexandre Farias é teólogo e apologista do ICP, consultor teologico da revista Saber e Fé e Defesa da fé e cursa 2a. Filosofia na Universidade Metodista ABC
E-mail: [email protected]

Fonte: Blog da Igreja Evangélica Cristã Presbiteriana
http://blogiecp.blogspot.com/2009/10/halloween-festas-das-bruxas.html

Comente!

10 Comentários

  1. Angela Maria

     /  20 de outubro de 2010

    Pastor que Deus continue abençoando a sua vida. Estas informações foram muito importantes para mim, pois estou falando deste assunto para alguns jovens e adolescentes para que não sejam enganados por satanás. Obrigado!

  2. Alexandra Lucena

     /  2 de novembro de 2010

    É… muito bem escrito e pesquisado. Vejo o Halloween como uma festa importada, mas que não tem conotação religiosa aqui no Brasil. É apenas uma data como a de Cosme e Damião ou qualquer feriado nacional (mesmo não sendo feriado). Se nem mesmo o natal as pessoas o passam com a consciência no nascimento de Cristo, que se dirá de uma data em que eles têm muito menos informações? Creio que isso é uma paranóia infundada por parte dos evangélicos. Com certeza, vocês não se importam com o evangelho sendo pregado para crianças budistas e hinduístas nas escolas brasileiras. Imposição, isso se chama. Se pretender criticar o halloween, deveriam também isentar os alunos da imposição do ensino religioso voltado para o cristianismo, afinal de contas, vivemos ou não em um Estado laico?

  3. Cara Alexandra, primeiramente lhe agradeço por participar da discussão e deixar seu ponto de vista em meu Blog. A maior benção que poderia acontecer com o Brasil foi se posicionar como um estado laico, pois todos temos liberdade de expressão e não somos “forçados” a ser e fazer o que não queremos. Sem me colocar como fundamentalista, mas me posicionando dentro de princípios históricos, o Halloween tem suas bases nos “Alquimistas” da antiguidade, também conhecidos como bruxos ou mais recentemente classificados de Wicca. Suas práticas eram consideradas ocultistas por serem satânicas. O conceito de “satânico” na antiguidade era todo o rito ou ritual que envolvia requintes de crueldades não só para com animais como também para pessoas, notadamente o sacrifício em prol de alguma “entidade” . “Entidade” na escola filosófica Platônica estava relacionada com uma “idéia”. Segundo Platão uma pessoa que era “dominada”, tomada por uma idéia, a ponto de morrer por ela, estava possuída por uma “entidade” também conhecida como “daimonion” (demônio). Assim, uma “Festa” que remete a celebrações Celtas, que como você deve saber eram completamente místicos (Boudica 60a.C. que o diga) deve ser, no mínimo, avaliada, antes de nos tornarmos co-partícipes de uma atividade que, ainda que não nos “prejudique”, nos adormece, nos anestesia e nos desconecta da grande possibilidade de conhecermos o Caminho da Salvação, Jesus. Que Deus te abençoe amada.

  4. adoreii!!

    bjjus

  5. Infelizmente o espaço é curto para muitas informações que poderíamos dar aqui, contudo quero levar você à luz da Palavra de Deus.Pessoas que participam dessa festa têm que se conscientizar o que Halloween traz como conseqüência, estamos debaixo da lei da semeadura “ O que o Homem semear, ele irá colher”.
    Neste tipo de ritual encontramos a Necromancia, animismo, o Politeísmo e práticas pagãs, estas práticas não condizem com as Sagradas Escrituras.

    A bíblia nos da uma posição clara sobre a prática da bruxaria e não há possibilidade de alguém que está morto entrar em contato com o mundo dos vivos, o que para Deus é abominação.
    Hebreus 9 v.27: “Pois aos homens esta ordenado viver e morrer uma só vez, depois disso juízo”.

  6. Nicolas

     /  28 de outubro de 2011

    O que devo fazer quando um professor (de artes) me obrigar a fazer um trabalho em relação a isso?

  7. Querido Nicolas, sabemos que em nosso período escolar somos obrigados a “concordar” forçadamente com muitas heresias para não sermos reprovados. Aja com sabedoria, faça o trabalho de pesquisa porque tu precisas de aprovação, mas o importante é que o teu coração está longe destas atividades. Deus conhece o teu coração, o resto é só o “resto”. Um grande abraço.
    Pr Taranto

  8. Pastor.
    Estou admirada.
    Em um mundo de intolerância, encontro um artigo tão bem escrito quanto o seu.
    SOU PAGÃ, WICCANA. e gostaria de lhe dar os parabéns, por esclarecer aos seus o que significa nossa crença, e principalmente por citar que cada as pessoas tem livre arbítrio.
    Gostei mais ainda de ler o senhor dizendo que pedagógicamente a festa de Hallowen não acrescenta em nada. Concordo. A não ser que as professoras levantem de sua mesa de cafézinho e ensinem antropologia. Porém, se fizerem isso, vai dar muito trabalho, por isso não o fazem. Lembro que quando tinha 15 anos, já estudava a Wicca desde os 13. Minha professora de ensino religioso separou-nos em grupos por crenças, e pediu que apresentássemos aos demais um trabalho de pesquisa a respeito. Foi muito construtivo. Aprendemos a respeitar uns aos outros.
    Meus filhos seguem minha crença, entendem e são ensinados a não ficar falando muito enquanto não souberem se defender de ofensas, intolerância e medo. E evito deixá-los participar de festas de Hallowen, para que não presenciem distorções. Quando não posso evitar, é “aquele” sermão: “Fulaninho, é só uma brincadeira, tu sabe que a ‘Mãezinha do Céu’ ensina a fazer de tal forma, né?”. Daí eles vão, brincam e depois fazem os rituais em casa (também não posso transformar meus filhos em pessoas antissociais, né?).
    Por fim, agradeço pela consideração.

    Um forte abraço fraterno, que o bem sempre guie nossos passos.

  9. Cara amiga agradeço por sua participação na discussão de nosso Blog. A bem da verdade este artigo não é meu, trancrevi do Pastor Alexandre Farias. Embore respeite sua posição espiritual não comungo com ela. Creio que segundo a Bíblia, nosso referencial de fé e conduta, só ha esperança no porvir através da fé na morte e ressurreição de nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo. Jesus tem uma grande obra a ser realizada em tua vida e na de sua familia. Jesus te ama minha querida. Ainda há esperança, nada está perdido. O Senhor quer abrir uma porta para ti e seras salva tu e tua casa. Deus te abençoe e obrigado por seu carinho.

  10. Cultura independe de fé. Se assim não fosse, não existiriam antropólogos cristãos. Muito obrigada por desejar o bem de minha família.

Comente!