MUITO MAIS DO QUE PÉROLAS NO REINO DE DEUS

ostra-perola

Por: Pr Armando Taranto Neto
Em Mateus 13.44-50 está escrito:
“44 O reino dos céus é semelhante a um tesouro oculto no campo, o qual certo homem, tendo-o achado, escondeu. E, transbordante de alegria, vai, vende tudo o que tem e compra aquele campo.
45 O reino dos céus é também semelhante a um que negocia e procura boas pérolas;
46 e, tendo achado uma pérola de grande valor, vende tudo o que possui e a compra.
47 O reino dos céus é ainda semelhante a uma rede que, lançada ao mar, recolhe peixes de toda espécie.
48 E, quando já está cheia, os pescadores arrastam-na para a praia e, assentados, escolhem os bons para os cestos e os ruins deitam fora.
49 Assim será na consumação do século: sairão os anjos, e separarão os maus dentre os justos,
50 e os lançarão na fornalha acesa; ali haverá choro e ranger de dentes.
Mateus 13 é muito bem conhecido como o texto da “Semeadura”.
Fazendo menção ao capítulo citado, comparando o Reino de Deus, (ou dos Céus, é a mesma coisa) percebemos a maravilhosa Graça de Deus em três instâncias.
Primeiro no v.44 quando se diz que: “…O reino dos céus é semelhante a um tesouro oculto no campo, o qual certo homem, tendo-o achado, escondeu…”; perceba que o homem não tinha a intenção de buscar nada, não estava à procura, simplesmente “achou” um tesouro de grande valor quando talvez estivesse trabalhando a terra.
O segundo, diferentemente do primeiro, “procurava” boas pérolas e, um dia, como fruto de sua busca, encontra uma maravilhosa pérola de grande valor, vendeu tudo o que tinha para poder possuí-la. A terceira comparação fala de uma rede de arrasto que não é, de forma alguma, seletiva, ela simplesmente carrega tudo que encontrar pela frente, caranguejo, bagre, baiacu, pescada, linguado, lixo, camarão, etc. E só quando se fecha o cerco na praia é que os pescadores farão a seleção dos peixes bons dos ruins, do que tem valor e do que é lixo.
O espaço deste artigo é muito pequeno para poder expressar, com detalhes, as riquezas de tudo o que o Espírito Santo coloca em meu coração enquanto o redijo. Mas vamos lá!
O Senhor não tem prazer na morte dos ímpios, como nos afirma Ezequiel 18.23: “Afinal, teria Eu alguma alegria na morte do ímpio? Palavra de Yahweh, o Soberano Deus. Ao contrário, porventura não me dá muito prazer ver o ímpio converter-se dos seus maus caminhos e viver? Sendo assim, demonstrado nesta parábola.
Por Graça, a salvação, “o tesouro de grande valor”, se apresenta àqueles que não a buscam, como no caso do homem que, “por acaso” encontrou um grande tesouro. A salvação também contempla aqueles que a buscam, como o comerciante que “buscava” uma pérola de grande valor. Nos impressiona que, ainda, o Pai “arma uma Santa cilada” para “arrastar” o homem, feito sua imagem e semelhança, até Sua Santa presença.
Como eu, que não tinha esperança e nem perspectiva de poder um dia ser chamado de “Filho de Deus”, como um bagre mergulhado na lama existencial fui encontrado pela “rede de arrasto” do Evangelho que não faz acepção de pessoas, contudo nos dá uma nova chance de nos tornarmos melhores, nos leva à presença de Deus e nos presenteia com a Vida Eterna.
Gostaria de me ater ao segundo homem, o comerciante que buscava boas pérolas, e descortinar o mistério que se desenrola no íntimo de nosso ser, quando temos o encontro com o Evangelho de Cristo.
Uma pérola leva de cinco a oito anos para se formar. Tudo começa quando um pequeno grão de areia entra na ostra e começa a irritá-la. Ela, então, por processos naturais, cria uma cápsula de nácar (Substância dura, irisada, rica em calcário, produzida por alguns moluscos, no interior de sua concha, que é utilizada em bijuteria e marchetaria. (O nácar das conchas é feito de camadas planas, enquanto as pérolas finas, produzidas pelas ostras, são compostas por camadas esféricas e concêntricas feitas pelos mesmos elementos do nácar.)) ao redor do cisco irritante que vai crescendo dia após dia. Quanto mais ela sofre com o corpo estranho dentro de si mais cresce o então grão de areia, que agora se transformara em “pérola”.
Muitos reis na antiguidade tinham prazer de segurar uma grande pérola nas mãos e ficar manuseando-a por longo tempo. Uma pérola só pode ser vista, utilizada ou manipulada pelos reis se a ostra que a produziu morrer. A pérola é a única gema que não precisa ser lapidada, do jeito que é encontrada ela será utilizada. Não existe nenhuma pérola igual a outra, elas são únicas.
A pérola é produzida através do sofrimento da ostra que vive mergulhada no fundo da areia ou lama no mar. Não se guarda uma pérola da mesma forma que se armazena ouro, prata ou pedras preciosas, elas devem ser espargidas com óleo e enroladas em papel. Você está entendendo?
O Senhor Jesus é o “comerciante” que procura por você, a pérola de grande valor. Quando ouvimos as Boas Novas do Evangelho e as Palavras de Vida Eterna entram em nossos corações, assim como o grão de areia que irrita a ostra, ela causa um grande impacto em nós. Nos “tira a paz”, pois as Palavras de Vida Eterna confrontam nossa vã maneira de viver com a Nova Vida que o Pai quer gerar em nosso ser.
Para que esta pérola, também conhecida por “Nova Criatura”, possa ser gerada em nós, teremos que amargar a dor das renúncias, lágrimas, desprezos, angústias, abandonos, traições, etc. Tal qual a ostra que, deve morrer, para que a pérola de valor possa surgir, o Senhor espera que morramos para este mundo, para que um Novo ser seja visto em nós.
Não precisamos nos comparar com ninguém, no Reino de Deus o verdadeiro valor da boa pérola está em sermos nós mesmos. Você é único. Só existe uma maneira de nos guardarmos do mal que tão de perto nos rodeia, assim como as boas pérolas devem ser envoltas em óleo para se conservarem, busquemos a unção constante do Espírito Santo de Deus.
Eu tenho certeza que estou falando com alguma ostra que foi ferida, desacreditada por alguém e, abandonada, se sente desvalida. Você está mergulhada, escondida nas profundezas da lama de seu viver, entretanto o “Bom Comerciante”, Jesus de Nazaré, te encontrou e não existe lugar tão profundo, sujo ou inacessível que Ele não possa ir para te resgatar e trazer aos olhos de todos o brilho e o valor que Ele gerou dentro de ti.
Se hoje ouvires a voz do Espírito Santo, não endureçais o vosso coração.
Morramos para este mundo para que todos possam contemplar a Nova Criatura que foi gerada em nós. Jesus te ama, quer te salvar e te dar a Vida Eterna.
“Ostra que nunca foi ferida jamais formará uma pérola”.

Comente!

1 Comentário

  1. Gilberto Araújo de Jesus

     /  14 de fevereiro de 2016

    A paz do Senhor homem de Deus!

    Obrigado mais uma vez, por nos presentear com uma palavra simples e profunda.
    Que o Senhor continue te abençoando e lhe dando sabedoria.
    Um grande abraço.

    Gilberto e Mirian

Comente!