O MAIOR INIMIGO DA RELIGIÃO É A VERDADE

fariseus1

“INSIGHT” – Em João cap 11 e verso 48 está escrito: ” …Se o deixarmos assim, todos crerão nele, e virão os Romanos, e tirar-nos-ão o nosso lugar e a nação…”. Esta “indignação” partiu dos líderes religiosos de Israel, ao perceberem o efeito transformador na vida de muitos judeus ao presenciarem a ressurreição de Lázaro e, passando, assim, a crerem no Evangelho e na Messianidade de Jesus. A preocupação dos sacerdotes, fariseus e escribas era de haver uma evasão em massa do Templo e da religião e consequentemente perderem o “Templo” e ser extinta a Nação. A religião sempre tem como ponto de partida supostas revelações místicas de uma pessoa e suas doutrinas, a proposta do Evangelho centra toda a Verdade em Deus. Hoje, muitas lideranças ainda se utilizam dos mesmos expedientes para não perderem sua influência, seja política ou opressiva contra os seus membros. Não importa se Jesus tenha levantado da morte espiritual algum “Lázaro”, se isto significar alguma ameaça ás doutrinas mortas e ineficazes que governam o Templo, é melhor matar a Lázaro novamente, pois vale muito mais um Lázaro esclarecido e liberto do sistema morto do que perder todo um rebanho escravizado e iludido com doutrina de homens. A primeira coisa que Jesus fez quando ordenou que Lázaro saisse de sua caverna sepulcral foi : “Desatai-o e deixai-o ir”. A religião nos enlaça, nos prende, nos tira a liberdade, nos cega, tira nossa razão, nos encapsula em uma grande, escura e fria caverna existencial, nos tira o propósito de viver e por fim nos mata. Mas em Bethânia estava a Verdade, Jesus de Nazaré; e onde está a Verdade imperará a Vida. Se tu tens andado triste e oprimido por causa da religião eu, em nome de Jesus te ordeno, “Lázaro, sai para fora, seja tirado de ti todas as cordas que estão te sufocando e seja liberto deste teu mal. Não te esqueças, todo aquele que foi liberto pelo Evangelho é um libertador em nome de Jesus. Caro líder, não precisa temer, Evangelho não esvasia o “Templo”, mas o enche de “VIDA”.

Comente!