POR QUE ALGUNS DEMÔNIOS SÓ SAEM COM ORAÇÃO E JEJUM? NÃO SERIA O NOME DE JESUS SUFICIENTE?

Muito embora o fato em referência seja registrado em mais dois outros evangelhos, o relato efetuado por Mateus é o mais preciso, pelo menos no tocante ao que motivou a desobediência dos demônios. Eis o texto:

E, quando chegaram à multidão, aproximou-se-lhe um homem, pondo-se de joelhos diante dele e dizendo: Senhor tem misericórdia de meu filho, que é lunático e sofre muito; pois muitas vezes cai no fogo e, muitas vezes, na água; e trouxe-o aos teus discípulos e não puderam curá-lo. E Jesus, respondendo, disse: Ó geração incrédula e perversa! Até quando estarei eu convosco e até quando vos sofrerei? Trazei-mo aqui. E repreendeu Jesus o demônio, que saiu dele; e, desde àquela hora, o menino sarou. Então, os discípulos, aproximando-se de Jesus em particular, disseram: Porque não pudemos nós expulsá-lo? E Jesus lhes disse: Por causa da vossa pequena fé; porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá – e há de passar; e nada vos será impossível. Mas esta casta de demônios não se expulsa senão pela oração e pelo jejum. Mt 17: 14-21.

A questão que intriga a muitos, é justamente o porquê, não foi suficiente a expulsão em nome de Jesus?

Em primeiro lugar é necessário que entendamos que, a luta com os demônios é guerra no mundo espiritual. Os demônios são seres espirituais com personalidade e inteligência. Como súditos de Satanás, inimigos de Deus e dos seres humanos (Mt 12.43-45), são malignos, destrutivos e estão sob a autoridade de Satanás (ver Mt 4.10 nota).

Olhando desse prisma, o crente para atuar nessa área precisa estar devidamente revestido de poder, e estar dotado de fé suficiente para esse trabalho.

Conforme já citei em parágrafo anterior, tendo os demônios personalidade e inteligência, logicamente conhecem quando aquele que o pretende expulsar, o faz com medo e sem fé. Medo e fé não se coadunam. A oração e jejum aumentam nossa comunhão e contato imediato com Deus, edificam nossa fé, surgindo então a coragem suficiente, afastando definitivamente a indecisão e o medo.

Muitos cristãos, por inexperiência, ao não conseguirem o objetivo de expulsar os demônios, ao invés de admitirem falta de oração, jejum e conseqüentemente fé, começam então a conversar com eles, esquecendo-se que o diabo é o pai da mentira, e os anjos que com ele caíram, ou seja, os demônios são os principais disseminadores e executores da mesma, de modo que tudo o que falarem, automaticamente já está sob suspeita.

Resumindo, existem castas de demônios com sagacidade suficiente para perceber a fragilidade, medo e falta de fé daqueles que os expulsam, de forma que aproveitam para tripudiar, sabedores que são de que sem fé é impossível agradar a Deus. A Bíblia diz:
Ora, sem fé é impossível agradar-lhe, porque é necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele existe e que é galardoador dos que o buscam. Hebreus 11:
A pessoa está expulsando, usando o nome de Jesus, mas está claro que não está acreditando suficientemente no que está fazendo. A Bíblia Sagrada diz:
Peça-a, porém, com fé, não duvidando; porque o que duvida é semelhante à onda do mar, que é levada pelo vento e lançada de uma para outra parte. Tiago 1:6.

O problema em questão, decididamente não residia na superioridade dos demônios, muito menos na falta de poder no nome de Jesus, pois ele mesmo disse: É-me dado todo o poder no céu e na terra. Mateus 28:18, porém, na fragilidade da vida cristã dos discípulos, os quais não estavam com suas vidas devidamente consagradas, e, portanto não tinham fé suficiente para tal trabalho.

Este artigo, foi postado originalmente no Jornal MENSGAEIRO DA PAZ – Edição de Maio/2008, na seção A BÍBLIA TEM A RESPOSTA.

“Sendo assim, o Nome de Jesus é plenamente Suficiente para expulsar “Todos” os demônios, estando, assim, dispensado o uso de “Spray de Pimenta” bem como o auxílio Policial, que, diga-se de passagem, uma atitude vergonhosa para uma Igreja que professa seguir as Verdades da Bíblia”.
Pr Armando Taranto Neto

Comente!

4 Comentários

  1. Hélder Nascimento _ sg - RJ

     /  9 de setembro de 2011

    Muito bom o tema, e parabéns pelo blog, eu mesmo já tentei manter um blog , mas é difícil manter frequentemente as atualizações, então tu és já um vitorioso em perseverar em algo que muitos começam mas param . Permitindo-me comentar sobre o tema: Deveríamos ampliar e contextualizar o termo jejum. Quando instituído tinha o objetivo de trazer atenção a santificação, dedicação a Deus ( exemplo de Moisés) ou para demonstrar tristeza e aflição.
    Hoje, para muitos, o jejum é apenas uma dieta, ou um período de dor estomacal, pois passam fome mas continuam vendo televisão, cantando músicas, trabalhando, estudando, seguindo a vida normal, com a única diferença de não ter nada no estômago.Jejum tem que ter renúncia , abstinência, santificação e dedicação as coisas de Deus. Aí, sim o jejum irá “funcionar”, não pelo fato jejum, mas sim por tudo que isso simboliza e gera em nós, e será isso que irá diferenciar os cristãos daquelas outras seitas que também possuem jejum! Por mais que pareça afronta, quero ver um muçulmano em jejum de dias consegui expulsar um demônio em nome de Maomé! Tendo em mente sempre que jamais será o meu esforço que gera o poder de expulsar demônios, mas sim o nome de Jesus usado em lábios santificados para pronunciar o nome mais poderoso do mundo.

  2. Caro Hélder a paz meu querido,
    Muito pertinente vossa colocação; que todos possa entender essas verdades basilares sobre o jejum e compreender o principal;
    “Ninguém faz jejum porque é capaz e forte, mas exatamente para fortalecer-se no Senhor e então se capacitar para a obra. Um grande abraço a ti e familia.
    Pr Taranto.

  3. waldinéia RJ

     /  23 de novembro de 2011

    Pastor Taranto gostaria de obter mais dados sobre esse assunto da atuação dos demonios,manifestando no corpo… Sou da igreja NovaVida,procuro informações para aprofundar meus conhecimentos.Obrigada e que Deus te abençoe ,vc e toda a sua casa.

  4. Cara irmã Waldinéia, obrigado pelo comentário. Recomendo-lhe um livro de Teologia sistemática de cunho pentecostal como Stanley Horton ou o livro Conhecendo as Doutrinas da Bíblia de Meyer Pearlman. Deus te abençoe.

Comente!