Vampirismo à luz da Bíblia

Por Pr Armando Taranto Neto

[…] Mas o Espírito expressamente diz que em tempos posteriores alguns apostatarão da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores, e a doutrinas de demônios, pela hipocrisia de homens que falam mentiras e têm a sua própria consciência cauterizada, […] (I Tm 4.1,2)

O apóstolo Paulo já advertia há quase dois milênios que chegariam tempos em que, não só os incrédulos, mas também os que supostamente conheciam a Palavra de Deus, voltariam as costas à verdade, dando ouvidos a Doutrinas Demoníacas. Estas doutrinas seriam disseminadas por “espíritos enganadores” provenientes de homens fundamentados na mentira, possuidores de uma mente embotada, cauterizada; uma consciência completamente inacessível às verdades esclarecedoras da Palavra do Senhor.

No conceito filosófico platônico demônio (δαιμονιον = daimonion) significa um estado de pensamento constante em que o homem pode ser envolvido, acorrentado, enlaçado, uma idéia fixa, que pode leva-lo até a matar por ela. Disse ele, com respeito ao envolvimento proveniente das idéias com seu mestre Sócrates:

[…] “quem quer que esteja próximo a Sócrates e, em contato com ele, põe-se a raciocinar, qualquer que seja o assunto tratado, é arrastado pelas espirais do diálogo e inevitavelmente é forçado a seguir adiante, até que, surpreendentemente, ver-se a prestar contas de si mesmo e do modo como vive […] (PLATÃO grifo meu)

A parte final da saga Crepúsculo, intitulado “Amanhecer”, chega arrebatando a atenção e os corações de milhões de incautos que, infelizmente, à semelhança do povo de Nínive, não sabem discernir a mão esquerda da direita.

Esta é uma prova cabal de que as doutrinas de demônios estão ativas e influenciando jovens e adultos em todo o mundo.

Bella, a protagonista, se casa com o vampiro Edward, dando início a uma improvável família. Bella se adapta, tanto que engravida de um “vampirinho” que agora a consome por dentro e tenta matá-la. Sabe, admiro como satanás não tem mais o interesse de deixar suas intenções ocultas nos porões subliminares, não senhores, agora ele faz questão de deixar claro seus ardis. Ele semeia sua semente, sua idéia, seu “daimonion” e então esta idéia começa a consumir a pessoas por dentro, começa a devorá-la, a destruí-la, tal qual a Bella do “Amanhecer”; e como a protagonista, que corria perigo de morte, assim também todos os que estão envolvidos com essas doutrinas ocultistas.

Agora podemos entender o motivo de nossos jovens estarem tão insensíveis às coisas de Deus, tão amargos em seus relacionamentos familiares, tão deprimidos, sem esperança, apologistas da morte e do sofrimento; estão “grávidos” das doutrinas de demônios que vêm assolando este mundo, onde a saga Crepúsculo é apenas mais uma. Estão “endaimoniados”, acorrentados, enlaçados por todas as consequências nefastas provenientes do envolvimento com esse ocultismo, vampirismo, movimento “Emo”, “Gótico”, “Skin Head” e afins.

Um cristão fiel, que tem prazer na Lei do Senhor e que é dirigido pelo Espírito Santo de Deus, não se sentirá atraído por filmes ocultistas ou mesmo de terror, não sentirá jamais atração por vampiros e, quando os vir, discernirá imediatamente a origem e o “daimonion” por trás dele. Um cristão não está “grávido” de idéias de morte, mas sim do Espírito de Vida:

[…]O espírito é o que vivifica, a carne para nada aproveita; as palavras que eu vos tenho dito são espírito e são vida.[…] (Jo 6.63)

“Não porei cousa má diante dos meus olhos” (Sl 101.3)

Gnomos, Duendes, Silfos, Elfos, Ogros, Ondinas, Fadinhas, Wiccas, Halloween, já nos acostumamos com todas estas idéias, e seus “daimonions”, já não nos chocam mais. Como diz um certo dito popular:

“- Nada está tão ruim que não possa piorar um pouco mais.”

Que venha o “Amanhecer”.

Mas resta uma esperança nesse abismo, Jesus Cristo.

[…] e conhecereis a Verdade e a Verdade vos libertará; e se O Filho vos libertar verdadeiramente sereis livres […](Jo 8.32,36)

Sugestão Bibliográfica

Sócrates – Coleção Os Pensadores, Editora Abril, São Paulo, 1987.
Platão – Coleção Os Pensadores, Editora Abril, São Paulo, 1988.
Gaarder, Jostein. – O Mundo de Sofia, Companhia das Letras, São Paulo, 1995.
Reale, Giovanni & Antiseri, Dario. – História da Filosofia, Vol. I, Ed. Paulus, São Paulo, 1990.

Comente!

2 Comentários

  1. Juliano Marques

     /  28 de novembro de 2011

    A Paz de Cristo!

    Bastante interessante Pr Taranto….muito bom…como escreveu um psicólogo cristão que o fenômeno da auto-adaptação tem assolado as famílias na atualidade, tratam tais filmes como romances lindos, belos e maravilhosos, porém, são uma ameça. A auto-adaptação é mais ou menos assim: os soldados alemãos na 2a guerra mundial, que participavam das carneficinas aos judeus já tratavam tais ações como uma naturalidade que para eles, matarem, idosos, mulheres e crianças, todos indefesos, era normal.
    Que Deus nos ajude….

    Um grade Abraço.

    Juliano Marques

  2. A paz amado Juliano; muito bem colocado. É verdade, como diz uma antiga máxima: ” O povo que desconhece a história esta fadado a cometer os mesmos erros.” Que o Senhor te abençoe e grato por participar de meu Blog.

Comente!