VOCÊ POSSUI AS COISAS OU É POSSUÍDO POR ELAS?

Por: Pr Armando Taranto Neto

“E disse-lhes: Acautelai-vos e guardai-vos da avareza; porque a vida do homem não consiste na abundância das coisas que possui”. Lucas 12.15.
A recomendação básica de Jesus repousa em que devemos nos afastar da avareza, isto porque o cerne da vida do homem não está naquilo que ele “possui”, mas sim no que na verdade ele “é”.
Já o sistema do mundo vai na contra mão desta recomendação, dando ênfase exatamente àquilo que o cristão deve abominar, a possessão das coisas e a avareza. Isto ocorre porque os homens sem Deus aprenderam a medir o seu semelhante pelo que este “tem”.
Quando Samuel foi à casa de Jessé para ungir o novo rei de Israel, o Senhor lhe disse : “Porém o Senhor disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a grandeza da sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração.” I Samuel 16.7.

Você já reparou que às vezes, em meio a uma conversa, esquecemos o nome de alguém e logo nos lembramos de algum bem que o mesmo possui para identificá-lo?
Ex: “ – É aquele que tem um carro assim, e assado!”
“ – É aquele que sempre vem com um terno, ou uma gravata assim e assado!”
“ – É aquele que tem uma casa bonita na rua tal!”

Existe uma grande diferença em possuir as coisas e ser possuído por elas.
Quem possui alguma coisa tem o domínio dela, faz o que quer de sua posse, pode dar o nome, atribui marcas sobre sua posse, quando quer usa, quando não, deixa guardado. O possuidor pode também ser o doador de sua posse, pode abrir mão do que possui, a saber que o que ele é permanece em essência, será inabalável, mesmo que não seja mais o possuidor de sua posse. Aquele que possui também é o dono da posse, a despeito dela querer ou não ser possuída pelo possuidor. O que possui é livre, é Senhor da posse e permanece. O possuidor não “TEM”, Ele “É”.
Aquele que é possuído, por seu turno, é dominado pelo possuidor, tem que obedecer seu dono, recebe o nome, recebe as marcas e ainda fica disponível para ser usado, não quando quiser, mas segundo a vontade do que o possui. Aquele que é possuído não é dono de si mesmo, pode ser doado, vendido, trocado ou destruído por seu dono. O possuído perde a liberdade, é um escravo, é utilizável e descartável. Está morto para si mesmo.
O possuído das “coisas” só resgata sua dignidade ao entregar-se nas mãos habilidosas e amorosas do Santo, Eterno Possuidor e Senhor Jesus Cristo.
Os homens sem Deus tentam apoderar-se das coisas através da violência, e é por isso que nunca as possuem realmente. É que as coisas do mundo de Deus tem um “instinto misterioso”, como que uma norma sagrada que é não quererem ser estupradas ou violentadas.
Quem tenta se apoderar delas com violência não as possuirá, ainda que as encaixote ou as confine. Tê-las-á é verdade, mas elas não se deixarão possuir.
Quando algo ou alguém não quer ser possuído, ninguém e nada o fará, mesmo guardado a sete chaves em um cofre.
O que pelo amor não é unido não está realmente unido
Quem não possui pela alma, não possui.
O Reino dos céus e as riquezas de Deus pertencem àqueles que delas não se apoderam, mas em renúncia de coração voluntário abriram mão de tudo e já não possuem nada.
A “despossessão” ou desapego das coisas é o único meio de se possuir.
A libertação total é a única posse real.
Onde está o teu tesouro?
Onde mora tua “Posse Maior”?

Não te esqueças: “ Onde estiver o teu tesouro, ai também estará o teu coração” (Mateus 6.21)

Comente!

1 Comentário

  1. Pb Carlos Borba

     /  19 de março de 2012

    Paz meu Pastor e Mestre, ao ler esse maravilhoso comentário eu aprendi muito, para mim sera um grande privilégio continuar sendo seu aluno pelo resto da minha vida atrvés desse blog, um abração Pastor Taranto, Deus continue sempre te abençoando junto com a sua família.

Comente!