Terreiro “Gospel”

Por: Pr Armando Taranto Neto

Seguindo a nova tendência dos cristãos carnais, surge mais uma modalidade de entretenimento para as igrejas descomprometidas com a Palavra, a “Capoeira Gospel”, transformando a Igreja em um “Terreiro Gospel”. Das duas uma: Ou os líderes que estão à frente destas igrejas não conhecem nada de Bíblia ou conhecendo-a não querem mais ensinar a Verdade Libertadora do Evangelho, preferindo mais entreter bodes do que alimentar as ovelhas.
Com todo o respeito aos praticantes desta luta marcial originalmente brasileira, mas existem atividades que não convém mais àqueles que foram alcançados pelo Evangelho Libertador de Cristo Jesus.
O início da capoeira se dá no século XVI, quando o Brasil ainda era colônia de Portugal.
Assim que desembarcaram no Brasil, os negros africanos logo sentiram uma grande necessidade de criar mecanismos de defesa contra a hostilidade impetrada pelos colonizadores brasileiros. Não era raro serem fustigados violentamente pelos chamados senhores do engenho. Quando conseguiam ludubriar a guarda e fugiam eram perseguidos pelos capitães-do-mato, que eram conhecidos por suas formas violentas de captura.
Os negros, então escravizados, eram cerceados em todos os seus direitos e impedidos de praticar qualquer tipo de luta. Foi quando nasceu a capoeira. Mas a capoeira é muito mais do que uma simples luta.
É o que diz Françoise Batista em seu artigo entitulado : “Capoeira e Candomblé – Intimidade, Religiosidade e Cultura.”
“ (…) Expressão cultural ligada à cultura afro-brasileira a Capoeira possui uma relação muito íntima e intensa com o Candomblé, pois sua visão de mundo se expressa através dos Orixás cultuados nos rituais de Candomblé. Em algumas regiões do Brasil, muitos capoeiristas famosos ocupam lugares de destaque nestes rituais como “filhos” de entidades ou como “incorporadores” das mesmas. A semelhança que há entre a Capoeira e o Candomblé é algo impressionante e que pode ser claramente observado, pois ambos contemplam um ritual de consagração a liberdade, camaradagem e alegria e suas raízes expressam religiosidade, sensualidade, dança e cultura, elementos típicos da cultura afro-brasileira que muito enriquece a cultura do nosso país. Presente nos terreiros de Candomblé de todo o país, a Capoeira tornou-se para muitos deles uma ferramenta de resgate da cultura africana. (…)”
Se estas informações não bastam para despertar um filho de Deus quanto a esta atividade espiritualmente perniciosa, talvez o site oficial da Capoeira (www.capoeiradobrasil.com.br) possa atender sua necessidade de saber mais:
“Mestre Decânio, o mais idoso “Filho de Bimba” ainda vivo, decano da Capoeira Regional, médico e filósofo, pesquisador da capoeira, contribuiu recentemente com interessantes observações sobre a questão da origem da capoeira. Estudando os ritmos do candomblé, percebeu que o ritmo básico de Logunedê corresponde às batidas do pandeiro na capoeira. Podemos concluir: “O candomblé é a fonte mística… donde brota a magia da capoeira!” Há grande similitudes entre os movimentos da capoeira e os movimentos das danças rituais do candomblé, e outras semelhanças: no candomblé, o ritmo dos atabaques é o nexo entre “os Orixás e o Vodunce”, assim como na capoeira, o estilo do jogo acompanha a musicalidade do toque. A capoeira é o processo complexo constituído pela fusão ou caldeamento de fatores de várias origens… dos africanos herdamos os movimentos rituais fundamentais do candomblé…”

Sendo assim, preocupa-nos saber que esta atividade está adentrando nossas igrejas travestida de apenas mais uma atividade física com vistas a trazer o equilíbrio do ser e blá, blá, blá…….
O certo é que se a origem da atividade está fundamentada no Candomblé, incorporação de entidades, orixás, com todo o respeito, conhecedores da Palavra que somos, não deveríamos nem sequer “Considerar” praticá-la, como nos alerta o Apóstolo Paulo em Cl 2.8
“ (…)Tendo cuidado para que ninguém vos faça presa sua, por meio de filosofias e vãs sutilezas, segundo a tradição dos homens, segundo os rudimentos do mundo, e não segundo Cristo; (…)”
E mais:
2 Co 6:14 “Não vos ponhais em jugo desigual com os incrédulos; porquanto que sociedade pode haver entre a justiça e a iniquidade? Ou que comunhão, da luz com as trevas?”
Ef 5:8,11 “Pois, outrora, éreis trevas, porém, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz… E não sejais cúmplices nas obras infrutíferas das trevas; antes, porém, reprovai-as.”
Cl 1:13 “Ele nos libertou do império das trevas e nos transportou para o reino do Filho do seu amor.”
1 Pe 2:9 “Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardes as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz.”

A verdade é que o que dói aos crentes carnais é a renúncia a tudo o que está estabelecido neste mundo, pois não querem de forma alguma abandonar as coisas “velhas”. Não se pode servir a Deus e ao mundo. Para o Evangelho de Jesus, que nos ensina a dar o outro lado da face àquele que nos ferir, não há lugar para “Rabo de Arraia”

Que o Senhor nos guarde deste mal.

Para saber mais:http://diariodosorixas.wordpress.com/2010/11/18/capoeira-e-candomble-%E2%80%93-intimidade-religiosidade-e-cultura/
www.capoeiradobrasil.com.br

Comente!

9 Comentários

  1. danilo santos

     /  28 de setembro de 2012

    Pura ignorância! A capoeira é um esporte como tantos que vimos por ai os evangélicos praticando, porém quem a torna uma religião, é quem a pratica.

    Sou professor de capoeira e também evangélico(não ensino em igreja, nem recruto ovelhas com a capoeira, mas tenho grupo social que prima pela educação, não às drogas, comportamento social, e boas notas dos alunos); gostei do assunto….. peraê, mas sem CTRL + C, CTRL + V – COPIAR + COLOU .

    Vamos em frente, ao invés de falácias, me perguntem que eu respondo!

    não se pode julgar um bolo, por tão somente uma fatia!

    Não julgueis, para que não sejais julgados. Mateus 7:1

    ESPERO RESPOSTAS, vamos debater este assunto!
    meu email: [email protected]

  2. Amado Danilo, não tive a intenção de ofender nenhum desportista, mas como
    Pastor me sinto na obrigação de alertar aos leitores dos perigos que querem nos
    afastar de Cristo e do Santo Evangelho. Muito obrigado por sua participação em nosso Blog.
    Parabéns por estar se dedicando às causas sociais utilizando esta atividade. Porém,
    o fato de voce praticá-la como esporte não desconfigura a origem da coisa. Quanto ao Ctrl C – Ctrl V
    eu fui buscar informações exatamente no órgão oficial da mesma, e não fui leviano e nem desonesto neste
    quesito, pois indiquei a fonte no final do artigo.
    Que Deus te abençoe e esclareça.
    Pr Taranto

  3. Adriana Melo

     /  28 de setembro de 2012

    Pr Taranto ontem meu filho me pediu que gostaria de fazer capoeira e eu falei justamente que não era esporte pra um crente fazer pois era vinculado a outra religião … e hj abrindo seu blog pude ter resposta mais detalhada para lhe dar … muito obrigada por suas mensagens, tem alimentado minha alma em tempos que mensagens divinamente inspiradas estão em instinção … a paz do Senhor !

  4. A paz do Senhor. Vejo que você ainda insiste em falar coisas que só fazem trazer debates e não crescimento. Com o mesmo tipo de palavras, pastores e mais pastores escreviam sobre a televisão, sobre o rádio e sobre a internet. O tempo mostra que essas grandes falácias só servem para depois trazer arrependimento dos escritores, e isso é bom. Não concordo com a capoeira dentro da Igreja. Mas demonizar todos que a praticam só poderia vir de alguém preconceituoso ou com conceitos errados. Definir a capoeira como origem no candomblé por semelhança de ritmos e movimentos é bem engraçado. Que tal mostrar alguns cultos pentecostais em que as pessoas saem girando e mostrar um ¨gira¨ em um centro de macumba o que pensaremos? Eu sei o que pensar, e você professor Taranto.

  5. A paz meu querido irmão e amigo Edson. Obrigado por participar de nosso Blog. Amado, não tenho o direito de julgar ninguém e não fiz isso em momento algum.
    Respeito teu ponto de vista e concordo plenamente com os abusos dos “Aviõezinhos”. Quanto às origens da Capoeira a informação vem da ´propria instituição, bem como
    fontes históricas responáveis. Contra fatos “Historicos” não existe argumento. No mais fica meu carinho e consideração por ti como
    amigo, irmão e colega ministerial. Um grande abraço em Cristo. Taranto.

  6. Sabemos que a história é contada por por pessoas, e cada um conta do seu ponto de vista, sendo assim a história tem varias versões para o mesmo fato. Assim na história os fatos podem ser argumentados. Sobre a história da capoeira no Brasil eu compreendo o que você escreveu, mas sobre a pessoa que a pratica estar sobre influência de orixás e caboclos é um pouco demais. Concordo por completo que essa onda de colocar artes marcias dentro das Igrejas seja um abuso. Acredito que o esporte bem direcionado pode ajudar a sociedade para uma boa convivência. E se isso for feito por pessoas com princípios cristãos será ainda melhor, na Igreja é lugar de cultuar a Deus e não os homens. Sobre acompanhar o que você escreve eu sempre leio os seus textos, esse por exemplo não foi eu que vi, mas um de nossos alunos queria relembrar os nossos debates e enviou para mim. Fico feliz que Deus está lhe abençoando e vejo suas fotos no face. Mas lembre! Em caso de guerra não vá! Para que assim você não tenha que tirar a vida de ninguém, pois isso é pecado.rsrsrsr

  7. Cristiano

     /  29 de outubro de 2012

    OOO glória!!!! Debater é viver!! abraço mestre Taranto!

  8. Ok Edson, minha guerra é outra, assim como a tua, contra as hostes espirituais da maldade. É sempre bom discutir com pessoas que pensam,
    afinal, fomos forjados no calor da batalha kkkk. Um grande abraço e até
    a próxima. A Paz.

  9. Marcelo Paulo

     /  19 de novembro de 2012

    Penso que daqui a pouco com a liberação da maconha pelos nossos governates, vai ter pastores dizendo que podemos fumar maconha com o desviado para ganhar ele para Cristo….

Comente!